Maranhão possui apenas 30% de água potável na natureza, dizem especialistas; situação pode piorar

No Dia Mundial da Água, o g1 Maranhão ouviu pesquisadores sobre o cenário dos recursos hídricos no estado. Situação é preocupante, mas ainda há como reverter.

O Dia Mundial da água, comemorado neste 22 de março, é marcado por reflexões acerca do bom uso da água potável, despoluição dos mananciais e proteção das fontes no planeta.

No Maranhão, a data também traz à tona temas que são pouco discutidos no presente, mas que os cientistas já colocam como pautas recorrentes em um futuro próximo. A falta de recursos hídricos é um desses assuntos.

De acordo com o professor e engenheiro sanitário e ambiental, Lúcio Macedo, em seu trabalho ‘Gestão das águas no Maranhão’, o estado possui hoje apenas 30% de água potável em suas bacias hidrográficas.

“O percentual de água potabilizável nas bacias hidrográficas dos rios Itapecuru, Mearim, Munin, Tocantins, Pindaré é de 30%. A poluição por esgotos e a cunha salina existentes nas bacias do Periá, Açailândia, Paruá e os rios da Ilha como o rio Anil, Bacanga, Pimenta, Calhau estão totalmente contaminados”, afirma Lúcio, que também é professor pela UFMA e UEMA.

Dentro da Ilha de São Luís, a forte poluição no rio Paciência também é apontado como um agravante para o abastecimento dos moradores. A bacia do Paciência, por exemplo, ainda é usado para consumo dos moradores.

“Outro exemplo é o caso do rio Pericumã, que é ainda utilizado como manancial para a cidade de Pinheiro, mas sofre influência da baia de São Marcos”, declara o pesquisador.

São Luís – Abastecimento ineficaz com recursos locais

Apesar de recorrente, a capital maranhense, segundo os especialistas, não deveria sofrer tanto com escassez de água, pois, mesmo com o atual número populacional, de mais de 1 milhão de pessoas, há na ilha 11 bacias hidrográficas: Anil, Bacanga, Tibiri, Paciência, Inhaúma, Praias, Santo Antonio, Estiva, Geniparana, Cachorros e Itaqui.

Dentro dessas bacias estão ao menos nove rios, sendo a maioria de pequeno porte e que desaguam em diversas direções, abrangendo dunas e praias. Os maiores são o rio Anil, com 12.63km de extensão; e Bacanga com 233,84 km.

Comente a publicação
Gostou? Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Ganhe premios

Preencha o Cadastro Abaixo para Receber Dicas de Emprego, Negócios, Promoções, Descontos, Shows e Muito Mais!




    Leia também